Acidentes de helicópteros são comuns? Saiba como se precaver

O Jornalista Ricardo Eugênio Boechat morreu no início da tarde desta segunda-feira (11), aos 66 anos, em São Paulo. Ele estava em helicóptero que caiu na Rodovia Anhanguera, em São Paulo, e bateu na parte dianteira de um caminhão que transitava pela via.

Boechat deu uma palestra a representantes da indústria farmacêutica em Campinas, no interior do estado, na manhã desta segunda e retornava a São Paulo por volta das 12h. Ele deveria pousar no heliponto da Band, no Morumbi, Zona Sul da capital paulista.

O acidente não é de se espantar

Atualmente a cidade de São Paulo, não por acaso, já se tornou notória como a metrópole com maior concentração de asas rotativas para uso executivo do planeta. Segundo levantamento de 2013 realizado pela Associação Brasileira dos Pilotos de Helicóptero (Abraphe), a região metropolitana e cidades vizinhas à capital hospedam a maior frota de helicópteros em operação no mundo, com 411 aeronaves registradas e cerca de 2.200 pousos e decolagens diários. No mesmo ranking, Nova York figura como vice-líder com números muito menores: 150 helicópteros e pouco mais de 1.200 operações.

Mais de 30% dos acidentes aéreos registrados no país com helicópteros na última década ocorreram no estado de São Paulo, conforme dados divulgados pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa). Ou seja, os acidentes com helicópteros são mais comuns do que imaginamos, segundo o próprio Centro os erros são facilmente evitáveis se os pilotos seguirem os protocolos de segurança.

Voo inseguro

Conheça os erros mais comuns dos pilotos que voam sem seguir as regras:

  1. Não conhecer a aeronave
  2. Não estar em boa forma física (uma simples dor de dente pode ser problema)
  3. Deixar de conferir os boletins meteorológicos
  4. Erros de navegação
  5. Perda da noção espacial (em voo noturno ou mau tempo)
  6. Sensação de ‘tenho de chegar’, ignorando a segurança de voo

 

Entre os mais de três mil pilotos em atuação no país, segundo estimativa da Associação Brasileira de Pilotos de Helicóptero (Abraphe), há gente mal treinada e pouca fiscalização nos 4 200 pontos de pouso cadastrados. De acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), de janeiro a abril, foram encontradas irregularidades em 2% dos 254 000 voos realizados – incluídos aí aviões de carreira. O índice representa 5 600 ocorrências e foi obtido só nos aeroportos mais movimentados.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.