Esse ano os boletos terão novidades com a Nova Plataforma da Cobrança, sistema criado pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban). O modelo vai permitir que os boletos atrasados sejam pagos em qualquer instituição financeira ou em um dos canais de atendimento disponíveis, como agência, internet e aplicativos de celular, mesmo depois de vencido. A tecnologia foi criada para modernizar o sistema de liquidação para os boletos bancários, tido como defasado.

De acordo com Eduardo Pugnali, gerente de inteligência de mercado do Sebrae-SP, a mudança é positiva para os empreendedores. “Eles terão um conforto maior na hora de pagar boletos e não precisarão perder tempo indo aos bancos realizar pagamentos atrasados”.

A conveniência, no entanto, só funciona para boletos registrados. 

Mas o que seria um boleto registrado?

Nada mais é do que um boleto registrado nessa Nova Plataforma da Cobrança. Nele, os boletos são registrados com algumas informações: CPF ou CNPJ do emissor, data de vencimento, valor, além do nome e número do CPF ou CNPJ do pagador.

Hoje, o sistema aceita somente boletos acima de R$ 2 mil. Mas, a partir do dia 24 de março, os boletos de R$ 800 ou mais podem ser registrados. E, a partir de 26 de maio, serão os de R$ 400 ou mais. Em 21 de julho de 2018 poderão ser registrados todos os boletos acima de R$ 0,01.

Como o consumidor consegue ter o boleto registrado no novo sistema?

De acordo com Walter de Faria, diretor adjunto de Operações da Febraban, é papel da empresa emissora do boleto entrar em contato com a agência bancária para incluir os novos dados na base da nova plataforma da cobrança. Depois disso os boletos devem ser encaminhados para os pagadores. 

A obrigação de manter o cadastro dos clientes sempre atualizado é dessa empresa, já que não serão mais aceitos os boletos que não constarem o CPF do pagador.

E os boletos que já foram emitidos e não foram registrados?

Os boletos emitidos que ainda não foram registrados não poderão ser pagos. A empresa deve entrar em contato com a instituição bancária para fazer o ajuste.

Por que a mudança foi feita?

Segundo Pugnali, a mudança ocorreu pela necessidade da modernização no sistema bancário. A Febraban sempre está fazendo evoluções no sistema bancário para facilitar a vida dos correntistas, como na criação dos aplicativos de banco , diz. 

Para Faria, os novos dados registrados ajudarão a evitar a emissão de boletos fraudados.

* Via G1

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.