A 23ª edição da Campinas Decor começa na sexta-feira e segue até 10 de junho, na Fazenda Argentina, pertencente à Unicamp, localizada ao lado da Rodovia Campinas-Mogi Mirim, na Rua Dr. Ricardo Benetton Martins, s/nº, logo após o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPqD), no Parque II do Polo de Alta Tecnologia. A principal mostra de arquitetura, decoração e paisagismo do Interior paulista, explora em 2018 o cenário ímpar em que é realizada, que conta com uma visão panorâmica de parte da cidade.
 
Stella Pastana Tozo, co-organizadora do evento, explica que “será um passeio completo para toda a família”, evidenciando que os 41 ambientes apresentados oferecem mais do que a simples exibição do trabalho realizado pelos expositores. Exemplo disso é o “Espaço de Festas”, que encerra o percurso linear, local onde os visitantes poderão vislumbrar, entre outros, um retrato feito por Pierre-Auguste Renoir, pintor francês que deu início ao desenvolvimento do movimento impressionista, caracterizado pela exaltação da beleza. A obra pertence à arquiteta e urbanista Aurea Monteiro, que projetou um espaço provocante, que mescla estilos e promove um choque cultural, marcado por muita sensibilidade.
 
Sueli Cardoso, que também organiza a feira, reforça que o local possibilita um grande contato com a natureza e que “em todos os ambientes é possível encontrar uma inovação, seja ela tecnológica ou conceitual”. Para ela, “os profissionais se superaram ao criar ambientes impactantes e em perfeita sintonia com o entorno”. De imediato, as pessoas se deparam com o “Loft de Vidro”, da designer de interiores Glaucia Nunes, construído do zero em um contêiner marítimo, que dá vida a uma casa com 30m² e custo estrutural estimado em R$ 50 mil.
 
A ótica empregada foi “integrar a natureza ao bem-estar”, segundo ela, uma combinação extremamente necessária nos dias atuais. O imóvel abusa da bela paisagem, possibilitando uma observância em 360º de todos os atrativos da localidade. O ambiente integrado concilia artefatos rústicos e equipamentos modernos, como um telão instalado na sala. Glaucia diz que o projeto visa atender um casal, promovendo uma integração constante, tendo em vista a otimização de espaço abrilhantada pela vasta iluminação natural.
 
Sustentabilidade
 
O palco da Campinas Decor 2018 é por si só um tributo à natureza. Contudo, ao caminhar entre os ambientes esse conceito é reforçado. A organizadora Stella Pastana Tozo pensa ser “impossível desassociar natureza e sustentabilidade”. Nos jardins, os visitantes irão se defrontar com totens, que contextualizam que “a arquitetura é a arte de como utilizar um espaço”, ou que os profissionais do ramo transformam inspiração em ambientes únicos. Isso, sempre norteado pelo pensamento de que “a sustentabilidade constrói pensando no futuro”.
 
Sueli Cardoso ressalta que “hoje, todo mundo busca o morar bem” e que “os trabalhos são focados em agregar valor e trazer comodidade”. Um dos exemplos disponíveis na mostra, que endossa todo esse contexto, é o “Lazer da Piscina”. Trata-se de uma piscina biológica, criada pelas arquitetas Gabriela Gonzales e Andrea El Banaf em parceria com a Genesis Ecossistemas. O espaço contemporâneo é composto por bar, academia e um cinema ao ar livre, situados à frente da piscina de estética refinada que refugia belas carpas. “É uma arquitetura limpa, que tem como base o conceito de qualidade de vida”, explica Andrea.
 
Novos talentos 
 
A Campinas Decor costumeiramente abre espaço para profissionais com até três anos de formação, objetivando valorizar e apresentar o potencial dos mesmos em um mercado extremamente concorrido. Neste ano, as escolhidas foram Cátia Furlan, designer de interiores, autora do projeto do espaço batizado de “Hobby da Dona de Casa”, e a dupla Maria Gabrela Linares e Simone Rossi, também graduadas em design de interiores, que assinaram o ambiente “Lounge Kids”.
 
Os outros expositores foram selecionados a dedo, conta Sueli, elucidando que isso faz parte do contexto de trabalho do evento. “Após o lançamento, os interessados em obter um espaço realizam uma inscrição e são, posteriormente, aprovados ou não, entre outros, com base no seu currículo, tempo de profissão, número de participação em edições anteriores e prêmios recebidos”, afirma.
 
* Via Correio Popular

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.