Após o incêndio ter destruído parte de encomendas e correspondências na central de distribuição dos Correios de Indaiatuba (SP), no último domingo (25), o Procon deu orientações, nesta terça-feira (27), sobre os direitos das pessoas que aguardam o recebimento de produtos. Em alguns casos, vale entrar com uma ação na Justiça. 

Demonstrado o eventual prejuízo material ou moral a esse consumidor, então, ele pode ajuizar uma ação inclusive para eventual reparação desses danos , explica o assessor do Procon Campinas, Francisco Togni.

Os Correios já divulgaram que o fogo afetou parte de uma carga com origem em São José dos Campos (SP) e que seria destinada para outros estados, de acordo com a empresa federal. No entanto, a empresa ainda não divulgou um balanço sobre tudo o que foi perdido. A central de Indaiatuba atende 230 cidades do interior paulista e é uma das maiores do país.

O incêndio ocorreu por volta das 20h30 de domingo, quando havia apenas um vigilante na unidade – ele não teve ferimentos. De acordo com a assessoria dos Correios, o fogo também não provocou danos na estrutura, instalações, e os trabalhos foram retomados na tarde desta segunda-feira.

Remetente e destinatário

No caso de uma pessoa que fez um envio de correspondência ou produto, segundo o Procon é possível exigir dos Correios a devolução do valor pago pela postagem e o prejuízo, se a mercadoria se perdeu no incêndio.

Já o consumidor que fez uma compra e aguarda a chegada da mercadoria, o melhor contato é diretamente com o lojista.

Ele pode buscar informações sobre a postagem, inclusive diretamente com o lojista, com o site que comercializou. E, não tendo a entrega do produto dentro do prazo estabelecido, ele pode também demandar ao lojista, até porque foi quem comercializou esse produto , explica Togni. 

Os Correios informaram que vão analisar todos os casos de perdas para verificar como se darão as indenizações. Parte das encomendas encomendas PAC ficou queimada, enquanto outra também foi afetada pela água do sistema de segurança.

Caso o sistema de rastreamento – SRO indique que uma encomenda está destinada ao CTCE Indaiatuba e se o prazo de entrega estiver vencido, o remetente deve registrar uma manifestação nos canais de atendimento, preferencialmente pela internet. […] Destinatários nessa situação devem entrar em contato com o remetente ou com a loja/vendedor onde a compra foi realizada , diz nota.

Investigação 

Os Correios informaram ao G1 nesta terça, por nota, que a área de segurança está realizando perícia para apuração interna sobre o ocorrido.

Ou é criminoso, ou alguém que está despachando alguma mercadoria que não é para ser despachada, que possa causar incêndio e que compromete toda atividade da empresa , frisou ao destacar que, segundo a PF, o fogo ocorreu na área onde ficavam as mercadorias.

Outros seis incêndios já atingiram centrais dos Correios esse ano pelo Brasil, destacou Campos. A Polícia Federal não deu mais detalhes sobre as investigações.

A central de Indaiatuba tem operações automatizadas e fica em espaço com 47 mil metros quadrados de área construída. Ela tem capacidade de tratar 2,5 milhões de objetos por dia, entre eles, mensagens e encomendas, segundo a assessoria dos Correios.

* Via G1

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.