No próximo dia 6, sexta-feira, o Circuito SESC de Artes, estará na Praça Sant´Anna, das 16h às 21h30, com diversas atrações.  

Com atividades de artes visuais, circo, cinema, dança, música, teatro, literatura, tecnologias e artes, a décima edição do Circuito SESC, que se apresenta também em outros municípios, envolve diversos trabalhos artísticos, todos gratuitos e livres para todos os públicos. Confira todas as atrações que estarão na cidade:

 

Foto:
 
CABARÉ MUNDO CIRCUS
 
LUCCA CIRCUS E OS PROFIÇÇÇIONAIS (SP)
A união de dois grupos de Ribeirão Preto dá origem a uma apresentação cômica e dinâmica, com diversas técnicas do circo, incluindo algumas pouco exploradas no Brasil, como a mesa e a escada acrobáticas, e ainda girafa, acrobacia e malabarismo. O palhaço, músico e equilibrista De Lucca tem mais de dez anos de carreira; Os Profiçççionais são os artistas circenses João Marcilio, Rafael Rodrigues e André Doriana.
 
Foto: 
 
OFICINA DE INICIAÇÃO CIRCENSE
 
LUCCA CIRCUS E OS PROFIÇÇÇIONAIS (SP)
Os artistas realizam uma oficina para público iniciante de todas as idades, com técnicas circenses de malabarismo, equilibrismo de objetos, slack-line (equilíbrio em fita), portagem e acrobacia.
 
Foto:
 
TERREIRO URBANO
 
CIA. TREME TERRA (SP)
Inspirado na mitologia dos orixás, o espetáculo tem coreografias e músicas do universo do Candomblé e de suas influências na cultura urbana, em uma releitura artística de como são feitos os rituais reais. A trilha tem canções brasileiras e em dialeto yorubá, com acompanhamento de instrumentos e tambores tradicionais – atabaque, agogô, berimbau -, instrumentos de sucata e também eletrônicos.
 
width=
 
CINEBLOCO
 
CINEBLOCO (RJ)
Fanfarra formada há cinco anos por um grupo de músicos experientes e cinéfilos do Rio de Janeiro. Com irreverência e vestidos como personagens célebres, eles tocam temas famosos de filmes brasileiros e de Hollywood, com arranjos influenciados por ritmos regionais, como as marchinhas de Carnaval, o frevo e o funk. Assim, a “Marcha Imperial” de “Star Wars”, por exemplo, vira o “Maracatu Imperial”.
 
Foto:
 
OFICINA DE CALÇADAS
 
MARCOS GORGATTI (SP)
Inspirado no padrão das calçadas criado pela desenhista Mirthes dos Santos Pinto para São Paulo em 1966, os participantes da oficina projetam seus desenhos para um novo piso. Com a eleição do padrão entre todas as criações, ele será transferido para os ladrilhos e montado para exibição no espaço das atividades.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.