Vinhedo assim como diversas cidades do Brasil tem uma história comum: imigrantes de outros países sempre tem alguma importância na história da cidade. Em Vinhedo, os italianos tem vital importância na história da cidade. Vinhedo, antes Rocinha, deve seu nome à principal cultura que tomou conta logo depois do ciclo do café e da vinda dos imigrantes europeus para cá, a Uva. Nomes como Parreiral, Videiral, Videiras, Vinhalândia foram cogitados na época que Vinhedo deixou de ser distrito e passou a ser cidade, com autonomia política.

As principais levas de imigração para o Brasil ocorreram entre meados do século 19 e a primeira metade do século 20. Italianos, espanhóis, portugueses e alemães foram os principais grupos de imigrantes. É preciso lembrar que mesmo a Coroa Portuguesa quando mudou para o Brasil, eram imigrantes. Se colocássemos nos termos atuais, podem até ser considerados refugiados, pois o refúgio no Brasil foi uma manobra inédita do Príncipe-Regente, D. João, para garantir que Portugal continuasse independente quando foi ameaçado de invasão por Napoleão Bonaparte. Para garantir o êxito da transferência, o reino de Portugal teve apoio da Inglaterra, que também auxiliou na expulsão das tropas napoleônicas.

Desse modo, a imigração e a busca de refúgio são constantes em nossa história. E por conta das guerras que ainda ocorrem no mundo é provável que seja uma das grandes questões no futuro próximo. No Brasil atualmente, mais de 100.000 estrangeiros de cerca de 80 nacionalidades aguardam resposta do Brasil para pedidos de visto de residência temporária, ajuda humanitária ou reconhecimento da condição de refugiado. O caso mais notório é dos venezuelanos, que somam quase metade das solicitações e se concentram em sua maioria nos municípios de Pacaraima e Boa Vista, em Roraima. É uma situação que tem se intensificado no mundo. Diariamente, 28.300 pessoas no planeta são forçadas a abandonar o lar devido a conflitos e perseguições. São mais de 22 milhões de reconhecidos formalmente como refugiados — 51% têm menos de 18 anos. Trata-se do maior nível de deslocamento já registrado na história da humanidade, segundo a Organização das Nações Unidas, desde que o levantamento começou a ser feito na Segunda Guerra Mundial.

Segundo o Ministério das Relações Exteriores, o número de brasileiros vivendo no exterior é de quase 3 milhões, com dados de até 2017. E temos uma história constante de brasileiros que vão buscar uma vida melhor no exterior. Os países mais procurados são: Estados Unidos, Portugal, Espanha, Japão e Itália. Ou seja, temos um fluxo migratório constante também.

Temos uma ideia errada de que refugiados e imigrantes tomam empregos de nativos, que contribuem para violência, pobreza e causam caos urbano. Logicamente, existem países com estruturas melhores para receber imigrantes e refugiados, que podem acolher de forma saudável para a sociedade e economia mais gente. Mas como mostram os dados, é uma questão que pode nos unir e não nos separar, procurando endereçar as soluções de forma positiva. Em Londres, por exemplo, é muito comum encontrar imigrantes indianos que construíram casas, negócios, empresas e são valiosos para a economia da Inglaterra.

Não devemos subjugar os poderes da imigração e da união. Pense no Brasil, não seriamos nada sem os imigrantes. Nossa história teria sido completamente diferente. Então sem preconceitos, à favor da pluralidade e da diversidade de cultura o CICERONE VINHEDO cumprimenta e parabeniza todos aqueles que deixaram seus países de origem e emigraram!

 

Imigrante

A palavra imigrante se refere a uma pessoa que vem residir num país que não é o seu. Imigrante, imigração e imigrar têm como ponto de referência o local de destino, ou seja, a entrada num novo país. Imigrante tem sua origem na palavra em latim immigrans, sendo escrita com i inicial.

 

Emigrante

A palavra emigrante se refere a uma pessoa que sai do seu país, indo residir em um país estrangeiro. Emigrante, emigração e emigrar têm como ponto de referência o local de origem, ou seja a saída do seu país. Emigrante tem sua origem na palavra em latim emigrans, sendo escrito com e inicial.

 

Refugiado

é toda a pessoa que, em razão de fundados temores de perseguição devido à sua raça, religião, nacionalidade, associação a determinado grupo social ou opinião política, encontra-se fora de seu país de origem e que, por causa dos ditos temores, não pode ou não quer regressar ao mesmo, ou devido a grave e generalizada violação de direitos humanos, é obrigado a deixar seu país de nacionalidade para buscar refúgio em outros países.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.