A Vila Olímpica, motivo de polêmica com a chegada de algumas delegações nesse último Domingo foi entregue ao Comitê Rio 2016 em 15 de junho de 2016 e tem capacidade para receber 17.950 atletas e integrantes de equipe técnica durante os Jogos. Conta com 3604 apartamentos. São 31 edifícios, e todos eles têm unidades adaptadas para pessoas com deficiência.

Vídeo Visita Vila Olímpica

A Polêmica

Justamente na manhã do último domingo (24), a Vila recebeu pela primeira vez atletas de ao menos 14 países. A primeira delegação a fazer reclamações contundentes foi a delegação da Austrália. O chefe da delegação Kitty Chiller em entrevista coletiva disse que as instalações “não estão seguras nem prontas”, disse que enfrentou “uma variedade de problemas, incluindo gás, eletricidade e encanamento, e por isso decidiu que nenhum membro da delegação seria alocado nos prédios destinados à Austrália”, segundo informou a BBC. Segundo Chiller “os problemas ainda incluem sanitários bloqueados , vazamento de tubulações, fiação exposta , escadas escuras onde não a  iluminação não foi instalada e pisos sujos que precisam de uma limpeza maciça.”Nova Zelândia, Inglaterra, Itália e Argentina também fizeram algumas reclamações semelhantes. Porém, algumas delegações como a Italiana estão contratando profissionais por conta própria para concertar o que ainda falta antes de suas delegações chegarem.

Segundo o representante do Comitê Olímpico dos Estados Unidos, “é o menor dos problemas” e “essas coisas acontecem em todos os Jogos”. Os Organizadores dos Jogos afirmaram que “realmente tiveram alguns problemas”, mas que “grupos de trabalho estão sendo formados para trabalhar 24h por dia para resolver os problemas”. O Prefeito do Rio de Janeiro Eduardo Paes respondeu às criticas da delegação Australiana dizendo que “a vila é mais bela do que Sydney dos Jogos de 2000 e que ele estava prestes a colocar um canguru pulando para fazê-los se sentir em casa”.

Em resposta às reclamações, o presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman, também afirmou ser “natural que os ajustes sejam necessários”, ainda que os Jogos comecem no próximo dia 5 de agosto.

Segundo reportagem da ESPN o projeto da Vila Olímpica custou cinco vezes mais que o planejado. A construção foi feita com investimento 100% privado, construída por um consórcio formado por Carvalho Hosken e Odebrecht, ao custo de R$ 2,9 bilhões financiados pela Caixa Econômica Federal. Os apartamentos já estão sendo vendidos e depois do evento, a partir de 2017, os proprietários poderão se instalar. O Comitê Organizador do Rio 2016 teve de desembolsar R$ 254,9 milhões, valor atualizado em 2014 e cinco vezes mais caro que os R$ 51 milhões previstos no dossiê finalizado em 2008. Segundo informações da própria ESPN, o valor aumentou por conta da intenção da Organização de oferecer a melhor Villa Olímpica da história dos Jogos. No entanto, parece que na prática com toda a polêmica parece que o objetivo não setá sendo cumprido e deixa explicito a falta de planejamneto da obra. 

 

Fontes:  Portal Oficial do Governo dos Jogos Olimpicos e Paraolimpicos, UOL, BBC.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.