Na última segunda-feira (26), a morte do vinhedense e youtuber Gustavo Infanger Vicentin, de 15 anos, chocou a cidade. O adolescente sofreu um mal súbito durante a aula de educação física na escola que estudava. Segundo a escola ele tinha autorização para participar das aulas e estava apto à prática esportiva. Gustavo ainda foi atendido pelo próprio professor, mas não resistiu e faleceu no caminho do hospital.

O caso do Gustavo levanta uma pergunta importante: Como lidamos com o mal súbito? Antes de respondê-la é importante lembrar que o mal súbito é não é uma doença em sí, e sim um sintoma de diversos probelmas. Segundo o cardiologista Helio Castello, do Hospital Oswaldo Cruz, trata-se de uma perda repentina de consciência. Às vezes, não é mais do que um desmaio provocado por desidratação ou queda de pressão. O desmaio é uma síncope transitória e rápida que ocorre por falta de fluxo sanguíneo no cérebro.

Porém, essa perda de consciência pode ser a manifestação de quadros sérios, como o AVC, infarto, arritmias cardíacas ou aneurismas. Não raro, o mal súbito também dá as caras após o consumo excessivo de drogas ou álcool. São, enfim, muitíssimas causas.

Como lidamos com o mal súbito?

Via de regra, o atendimento precisa ser rápido. Se a pessoa não recobra a consciência em poucos segundos, contate os serviços de emergência e reportar os diferentes sinais para que o atendente ofereça um melhor suporte. O indivíduo parou de respirar? Seu coração está batendo?

Até que a equipe de socorro chegue é de primordial importância que o paciente se mantenha vivo até chegar ao hospital e evitar o agravamento do quadro. Então:

Se a vítima estiver consciente

  • A primeira coisa a fazer é se manter calmo
  • Afastar todas as pessoas que possam estar ao redor
  • Se a vítima estiver acordada, procure mantê-la acordada e consciente na medida do possível
  • Ligue imediatamente para o SAMU e espere
  • Evite movimentar a vítima
  • Se possível, ofereça água a ela

Se a vítima não estiver consciente mas respira

  • Verifique se ela está respirando aproximando-se do nariz ou da boca
  • Se estiver respirando, deite-a de lado para evitar que em caso de vômito, este vá para o pulmão
  • Espere o socorro chegar
  • Caso a pessoa não tenha sofrido nenhuma queda, ele suas pernas a uns 30 cm

Se a vítima estiver sem respiração e sem batimentos cardíacos

Neste caso de falta de qualquer reação, é necessário fazer uma massagem cardíaca. Então:

  • Com as mãos uma sobre a outra, coloque sobre o peito do paciente
  • Deixe os dedos da mão que está por cima entre os dedos da mão inferior
  • Agora pressione o osso esterno, afundando uns 5 cm e volte
  • Faça esse movimento umas 60 vezes dentro de 1 minuto
  • Se cansar o ideal é que reveze com outras pessoas, mas não pare até que chegue o socorro
  • Caso a pessoa não se reanime até que o socorro chegue, é provável que seja usado o desfibrilador

Previna

Todos podemos prevenir este mal com atitudes simples que podemos fazer todos os dias:

  • Beba água o suficiente por dia, especialmente nos dias mais quentes
  • Faça atividades físicas diariamente
  • Faça exames cardíacos periodicamente para garantir de que esteja tudo bem
  • Não coma gorduras e mantenha sua dieta equilibrada e balanceada
  • Não fume

Dá para evitar o mal súbito?

Nem sempre, mas manter a saúde em dia, evitar o estresse tomar bastante água pode evitar síncopes de maneira geral. Além disso, ao afastar a hipertensão, o diabetes, a obesidade e outros males que provocam ataques cardíacos e AVC, indiretamente você está combatendo o mal súbito.

FOI APROVADO PROJETO DE LEI DOS PRIMEIROS SOCORROS

A Câmara dos Deputados aprovou terça-feira o projeto “Lei Lucas”, que torna obrigatória a capacitação em primeiros socorros de professores e funcionários das instituições de ensino públicas e privadas do Brasil. O objetivo da nova legislação visa garantir, em casos de emergência, a segurança dos alunos por meio da presença dos profissionais com conhecimento nos atendimentos iniciais.

Veja notícia completa no link

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.