Ocupação de UTI chega a 100% em quase todas as cidades da região

O Brasil registrou no último Domingo (10) a maior média de casos de COVID-19, os números foram atualizados pelo consórcio de veículos de imprensa, e os números mostram uma tendência de piora já que houve muita aglomeração no final do ano.

Das cidades cobertas pelo Cicerone as que possuem situação mais crítica são Valinhos e Vinhedo, nas quais as Santas Casas já alcançaram 100% de ocupação dos leitos de UTI segundo as instituições. Itatiba que aumentou as ofertas de leitos no final de 2020 mantém a ocupação de leitos de UTI abaixo de 100%, mas com pouca margem de manobra. 

Sobre esse aumento acentuado da curva de casos, conversamos com a infectologista Raquel Stucchi, professora da Unicamp, disse que não é apenas resultado do maior número de testes que estão sendo feitos. É de aglomerações. Segundo a infectologista, com tanta gente adoecendo na mesma época, o risco é de colapso do sistema de saúde, como já se vê em algumas cidades e estados.

Até em Campinas a situação está bastante delicada, o HC da Unicamp anunciou ontem (11) que atingiu 100% da capacidade de leitos de UTI. E Campinas, segundo o G1, tem apenas seis leitos de UTI Covid livres pelo SUS.  

Nesse momento é importante considerar retomar o isolamento e redobrar a preocupação com a higienização das mãos, roupas e lugares onde passamos bem como o uso constante de máscara. O Cicerone separou algumas ações que podem ajudar: 

Foto: Ministério da Saúde
Foto: Ministério da Saúde
Foto: Ministério da Saúde

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.