O prefeito de Valinhos, Orestes Previtale (MDB), que tem o maior salário entre os prefeitos da Região Metropolitana de Campinas (RMC), anunciou nesta terça-feira, 3, que vai passar a doar parte de seu salário para entidades assistenciais da cidade já no próximo mês. A medida fará o chefe do Executivo ter seus rendimentos reduzidos de R$ 28,43 mil para cerca de R$ 16 mil mensais.

A decisão foi tomada depois que a Câmara regulamentou o valor dos vencimentos do prefeito, da vice e dos secretários municipais.

A ação da Câmara, aprovada na última semana por 13 votos a favor e 4 contra, não mexeu nem um centavo no valor dos subsídios dos agentes públicos municipais, mas apenas corrigiu uma ilegalidade que vinha sendo praticada desde 2008: vetou o reajuste vinculado aos vencimentos dos demais servidores públicos. Além disso, a aprovação do projeto fixou os salários nos valores que já vinham sendo efetivamente pagos.

Segundo Previtale, se o salário do prefeito fosse reduzido, a rede de Saúde municipal sofreria um forte impacto, com a redução do quadro de médicos plantonistas e prejuízos aos serviços prestados à população.

“O salário do prefeito é o teto do funcionalismo e quem ganha mais tem esse valor limitado. Porém, se o teto for reduzido, cai também o valor do salário dos médicos, que naturalmente vão buscar outras alternativas mais rentáveis em municípios da região. Haveria um risco muito grande para os moradores que dependem da saúde pública”, disse o prefeito, que é médico e já foi secretário da Saúde.

 

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.