Em recuperação judicial desde o ano passado o Parque Hopi Hari parece que vai fechar de vez. Sem dinheiro para pagar conta de luz, seguro, funcionários e com mais de R$700 milhões em dívida o parque parece mesmo que vai fechar. 

A conta de nergia com a CPFL, distribuidora da região, é de R$580 mil. Enquanto não paga a conta o Parque está utilizando geradores que também precisam ser pagos no valor de R$100 mil ainda essa semana. A segurança dos brinquedos está comprometida pois não mais equipes de manutenção preventiva, muitos funcinários foram mandados embora e os que ficaram, segundo sindicato da categoria, estão trabalhando inclusive sem registro. Se não bastasse, as seguradoras não estão aceitando as propostas do parque que envolvem alto risco. 

Além disso, a história do parque ficou marcada pela morte da jovem estudante Gabriela Yukari Nichimura em fevereiro de 2012. De acordo com o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP), os réus receberam a sentença de 2 anos e 8 meses de prisão no processo por homícidio culposo, mas o juiz reverteu a pena para prestação de serviços à uma comunidade e pagamento de um salário mínimo para uma entidade social. Segundo a nota oficial do TJ-SP, outros cinco funcionários foram absolvidos. Os acusados foram denunciados porque se omitiram ao deixar de tomar os cuidados para impedir a utilização da cadeira – desativada há mais de dez anos –, que não possuía cinto de segurança e que havia apresentado problemas no colete de proteção no dia do incidente , diz o texto da nota. No total, 12 pessoas são julgadas no processo.

O empresário e dono do Parque José Luiz Abdalla ainda tem esperanças de que conseguirá uma saída, porém a situação fica cada vez mais complicada e como ele delcarou ao Estado de São Paulo A gente não tem crédito na praça , reconhece ele. 

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.