A febre amarela é uma doença viral que tinha sido erradicada em centros urbanos em todo o Brasil, porém há alguns anos casos em cidades grandes e fora dos áreas silvestres apareceram. Em Vinhedo já foram confirmados dois casos de morte de macacos por conta da febre, o que é um indicador importante. O primeiro caso foi de um Bugio encontrado morto na região do Bairro Caixa D’Água no dia 27 de abril. O segundo foi encontrado morto no dia 29 de abril na região do Paiol Velho. Os resultados foram emitidos pelo Instituto Adolfo Lutz.
 
Muitas pessoas tem dúvidas sobre a vacina, por isso o CICERONE preparaou perguntas e repostas sobre a vacina: 
 
 
– Os macacos podem passar a doença para humanos?
 
Não, segundo o professor e doutor em ecologia, Sérgio Lucena Mendes de Minas Gerais: “Os macacos se comportam como sentinelas da febre amarela. A doença é transmitida por mosquitos. Mesmo doentes, os macacos não têm a condição de infectar. Por isso, os primatas são um sinalizador para alerta da doença, e não um transmissor. Eles são afetados antes dos seres humanos. Como os animais estão nas matas, mais expostos aos mosquitos, eles são mais sensíveis. Quando um macaco aparece doente, isso é um sinal que nós humanos estamos expostos também”. 
 
– Quanto tempo demora para fazer os testes nos Macacos?
 
A Prefeitura de Vinhedo utiliza o Instituto Adolfo Lutz, refrência em testes epdemológicos e vacinação do Brasil. Os testes dependendo da quantidade, distância das cidades e etc estão demorando até 1 mês. Assim, os macacos são um bom indicador, mas as ações podem ter um certo atraso. Também segundo o Professor Sérgio “É preciso entender que os primatas são mais suscetíveis a adoecer com o vírus da febre amarela. O surto, na verdade, quem está vivendo são os primatas, porque para os humanos não existe uma epidemia da doença, mas para os macacos barbados [bugios] sim. Deles estão morrendo milhares. Lamentamos a morte humana, mas atualmente as maiores vítimas da doença são primatas”.
 
– Quais são os sintomas em humanos?
 
A febre amarela é uma doença infecciosa grave, causada por vírus e transmitida por vetores. Geralmente, quem contrai este vírus não chega a apresentar sintomas ou os mesmos são muito fracos. As primeiras manifestações da doença são repentinas: febre alta, calafrios, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, náuseas e vômitos por cerca de três dias. 
 
– Quem transmite a doença?
 
A febre amarela ocorre nas Américas do Sul e Central, além de em alguns países da África e é transmitida por mosquitos em áreas urbanas ou silvestres. Sua manifestação é idêntica em ambos os casos de transmissão, pois o vírus e a evolução clínica são os mesmos — a diferença está apenas nos transmissores. No ciclo silvestre, em áreas florestais, o vetor da febre amarela é principalmente o mosquito Haemagogus. Já no meio urbano, a transmissão se dá através do mosquito Aedes aegypti (o mesmo da dengue). A infecção acontece quando uma pessoa que nunca tenha contraído a febre amarela ou tomado a vacina contra ela circula em áreas florestais e é picada por um mosquito infectado. Ao contrair a doença, a pessoa pode se tornar fonte de infecção para o Aedes aegypti no meio urbano. Além do homem, a infecção pelo vírus também pode acometer outros vertebrados. Os macacos podem desenvolver a febre amarela silvestre de forma inaparente, mas ter a quantidade de vírus suficiente para infectar mosquitos. Uma pessoa não transmite a doença diretamente para outra.
 
– Porque não vacinamos os primatas?
 
Os primatas não são vacinados pois exigiria uma força tarefa demorada e dificil de articular. Os macacos estão espalhados por áreas florestais e silvestres, encontrar, vacinar e controlar a vacinação seriam tarefas que demorariam muito tempo e força de trabalho. Além de ser mais fácil de mobilizar e organizar os humanos para vacinação, é também muito mais barato. Por isso, apesar de também sofrer com a doença, não vacinamos os primatas. 
 

– Quem deve receber a vacina da febre amarela?

 

Pessoas de 6 meses a 60 anos de idade que moram ou que vão viajar para regiões de risco. A zona próxima ao litoral do Brasil está fora da região de febre amarela. Importante saber que quem vai viajar deve receber a vacina pelo menos 10 dias antes da viagem.

 

– Pessoas com mais de 60 anos não podem receber a vacina?

 

Podem sim, desde que estejam em boas condições de saúde. Isso porque a vacina tem efeitos colaterais que podem ser importantes para as pessoas mais idosas. Por isso, o benefício da vacina deve ser maior do que o risco dos efeitos colaterais. Quem tem mais de 60 anos, está em dúvida sobre suas condições de saúde e mora ou vai viajar para região de risco deve conversar com o médico.

 

– E os bebês com menos de 6 meses?

 

Estes não devem receber a vacina sob nenhuma hipótese. Também não podem usar repelentes na pele. Portanto, para sua proteção, recomenda-se o uso de telas, mosquiteiros e repelentes de tomada, desde que o berço fique  pelo menos a 2 metros de distância do dispositivo.

 

– E as gestantes? E as mães que estão amamentando?

 

Em princípio a vacina é contraindicada para as gestantes e para quem está amamentando. Pode haver exceções, apenas sob liberação médica.

 

– Tomei a vacina. Quanto tempo depois posso engravidar?

 

Depois de ter tomado a vacina, o ideal é aguardar 30 dias para engravidar.

 

– Quem não pode tomar a vacina?

 

Quem tem alguma contraindicação. As mais importantes são: imunossupressão, seja por doenças ou medicamentos e alergia à proteína do ovo, ou à gelatina ou ao antibiótico eritromicina.

 

– Quantas doses são necessárias?

 

São necessárias 2 doses, com intervalo de 10 anos, para imunizar. Portanto, adultos que já receberam 2 doses NÃO precisam tomar mais nenhuma dose.

 

As crianças com menos de 5 anos e que nunca receberam a vacina podem receber a primeira dose a partir dos 6 meses e uma dose de reforço próximo aos 5 anos de idade.

 

– Não me lembro de tomei a vacina. Tomo de novo?

 

Se você não se lembra se tomou ou a data da sua última vacina, e mora ou vai viajar para região de risco, é melhor receber outra dose. No entanto, se você tem CERTEZA de que já recebeu pelo menos DUAS doses da vacina ao longo da sua vida, então NÃO precisa mais de nenhuma dose. Teoricamente você tem proteção por toda a vida.

 

– Quais os principais efeitos colaterais da vacina?

 

A febre é um dos efeitos colaterais mais evidentes e frequentes. Pode acontecer até 5 dias  após a aplicação. A vacina pode dar também dor muscular, sensação de cansaço e dores de cabeça. Outras reações como a encefalite, por exemplo, são mais raras.

 

– Meu filho acabou de tomar uma outra vacina do calendário vacinal. Posso dar a da febre amarela ou é  melhor esperar?

 

Crianças ou adultos que acabaram de receber uma vacina, principalmente se tiver sido a do sarampo, rubéola, caxumba ou catapora, que também são de vírus vivos e atenuados, devem guardar um intervalo de pelo menos 4 semanas para dar a vacina da febre amarela.

 

– Meu filho está com febre. Posso dar a vacina ou espero?

 

Crianças ou adultos que estão com qualquer processo febril devem aguardar a melhora para receber a vacina. Exceções podem ser feitas, sempre sob orientação médica.

 

– A Vacina faz efeito depois de quanto tempo?

Em 95% das pessoas o efeito protetor (imunidade) ocorre uma semana após a aplicação e confere imunidade por, pelo menos, 10 anos (provavelmente por toda a vida).

 

 

Orientações em Vinhedo:

Na última segunda – feira, 15, o processo de imunização começou a ocorrer em todas as UBSs da cidade (Jd. Von Zuben, Vila João XXIII, Três Irmãos, Casa Verde e Centro Médico), das 9h às 16h, e na UBS Planalto e na Policlínica da Capela, até às 19h. A vacinação é por ordem de chegada.

Nas UBSs menores, onde o atendimento vai até às 16h, o limite diário é de aproximadamente 200 vacinas por dia e na Planalto e na Policlínica, com atendimento até às 19h, de 500.

É importante que quem tenha a carteirinha de vacinação apresente o documento. Nos dias 20 e 21 de maio, sábado e domingo, a Prefeitura intensificará as ações de vacinação na área onde foi encontrado o primeiro macaco com caso positivo, com a disponibilização de um posto de vacinação na Escola Municipal Abel Maria Torres, no Bairro Caixa D’Água, das 9h às 16h, e outra equipe volante. A Prefeitura visitará também residências na região do Paiol Velho para vacinar os moradores. Durante a vacinação, possíveis restrições serão analisadas caso a caso. 

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.