Segundo apuração do G1 e dados da Associação Comercial e Industrial de Campinas (Acic), Paulínia (SP) e Vinhedo (SP) encerraram o primeiro semestre de 2018 com taxa de desemprego em 18%,98 e 18,30%, respectivamente. E dessa forma estariam acima da média da RMC registrado no mesmo período que foi de 12,25%.

O economista Laerte Martins da Acic concedeu uma declaração ao G1 dando algumas explicações. Segundo ele a crise econômica que atingiu as empresas e a Petrobras influenciaram os dados negativos de Paulínia. “A crise lá é a situação do impacto na atividade petrolífera. Há três anos a taxa lá ficava em 9%”, explica o economista.

Sobre Vinhedo, município de 75 mil moradores, o percentual acima da média da RMC está ligado à crise que atingiu grandes empresas do ramo de transportes e alimentos, segundo a entidade. “Há três anos a taxa não passava dos 10%”, completa o economista.

 

 

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.