A Adler Eventos, conhecida casa de shows em Vinhedo, sempre foi palco de grandes shows no passado. Recebeu grandes artistas e grandes bandas, sendo referência na região. Com a crise passou a incluir outros tipos de eventos no seu portfólio, como formaturas, festas empresariais, festas de casamento e etc. A última inovação foi receber e organizar feiras de roupas e calçados com preços baixos, sendo uma ótima opção para quem quer comprar sem gastar muito. São as chamadas “feiras da madrugada”, que na realidade é um conceito de feira livre, pois os comerciantes, a princípio, não pagam aluguel, impostos ou emitem nota. Em São Paulo capital, sempre foi muito comum e hoje existe regulamentação específica e espaços legalmente determinados para isso. As feiras livres surgem como alternativas à crise, porém prejudicam comércios da cidade já estabelecidos e que cumprem com todas as suas obrigações fiscais e legais.

Nos  último dias 5,6 e 7 de agosto aconteceu a anunciada “Fest Malhas”. Alguns comerciantes  acionaram a ACIVI e pediram medidas para coibir esse tipo de atividade em Vinhedo. Porém, a Associação não tomou medidas em tempo afirmando que a atividade era legal e despertou completa insatisfação. Os Comerciantes de Vinhedo então fizeram um pedido de impugnação direto ao poder público e reuniram mais de 100 assinaturas em abaixo assinado. A ACIVI publicou carta no dia 12 de Agosto se posicionando sobre o ocorrido:

Infelizmente grupos estranhos ao município têm buscado adentrar à nossa cidade realizando eventos não regulamentados, como Feiras e Bazares, tais como a famigerada “Feira da Madrugada”.

Não obstante, a Prefeitura de Vinhedo detém o Poder/Dever de fiscalizar e regulamentar tais eventos, podendo, inclusive, propor parcerias junto aos órgãos competentes como o Ministério Público e afins. Deste modo, em todas as ocasiões em que se teve notícia de quaisquer atividades estranhas ao interesse da Indústria, do Comércio e da sociedade Vinhedense, a associação comercial adotou medidas e diligências para coibir a citada pratica.

Salientamos que este tipo de evento escancara uma concorrência desleal com os comerciantes do município, que mesmo nos momentos de profunda crise econômica, buscam manter as melhores condições e produtos para os seus clientes, contribuindo ainda como polos geradores de emprego e renda para Vinhedo.

A Adler por sua vez em e-mail enviado à ACIVI se posicionou afirmando que a “Feira da Madrugada” é apenas uma forma de rentabilizar o espaço da casa de shows, e que em nenhum momento quis prejudicar o comércio vinhedense. Disse que a própria ACIVI já usou o espaço para feiras e eventos e que deixará reservado 30% do espaço para associados da ACIVI nos próximos eventos sem custo.

A ACIVI então afirma que tomou as medidas necessárias, mesmo que um pouco atrasadas, para que haja fiscalização desses eventos. E responsabiliza a Prefeitura de Vinhedo pela regulamentação das feiras. O Procurador Geral do Município por sua vez emitiu parecer afirmando que de fato as feiras são irregulares e que o pedido de impugnação escrito pelos comerciantes em conjunto deveria ser aceito. Alguns comerciantes ficaram tão insatisfeitos que questionam inclusive a função e atuação da ACIVI como representantes do comércio de Vinhedo. Reclamam que a instituição só lembra-se dos comerciantes quando quer fazer promoções. Aproveitam também para fazer uma campanha contra os interesses políticos juntos aos comerciantes, e iniciaram uma campanha com os dizeres “Políticos, estamos trabalhando, pulem a nossa porta!”.

Texto: Thiago Tonus

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.