No dia a dia passa desapercebido, mas  luz é o principal veículo para conhecermos o mundo que nos cerca. É o sentido mais usado pelo corpo, 80% do nosso saber nos chega com a visão. Ou seja, para ver , a luz é imprescindível. Além da visão, nossa saúde é fortemente influenciada pela luz do Sol, que regula nosso ciclo circadiano de acordar com o nascer do sol, manter a atividade durante o dia e descansar no pôr do sol, sendo fundamental para nosso equilíbrio fisiológico e emocional.

Por isso, quando vamos iluminar espaços comerciais, casas e jardins é importante saber que a iluminação errada pode gerar desconforto. Segundo especialistas, apesar de a iluminação ruim nos causar danos permanentes à visão, pode provocar certo cansaço, irritação e até lacrimejamento. É importante considerar que para dormir, ler, trabalhar com computador, assistir televisão, estudar e tantas outras atividades , precisamos de iluminação adequada, seja natural ou artificial .

Conversamos um pouco com a Ligth Designer Helô Cunha, a única profissional que oferece esse tipo de serviço em Vinhedo. Segundo Helô “ideias comuns como colocar apenas uma lâmpada em cima do espelho dos banheiros não favorece a imagem, já que essa luz ressalta as marcas dos rostos das mulheres e não ajuda o afeitar de barba dos homens, que precisam se retorcer para ver a região abaixo do queixo”. Outra constatação da Ligth Designer interessante é a eficiência dos projetos de iluminação “que muitas vezes não são planejados, apenas executados pelos eletricistas e que deixam faltar tomadas ou instalam tomadas demais em determinados lugares” e isso depois fica mais caro para concertar. Além disso, substituição de materiais como as lâmpadas incandescentes pelas de LED são interessantes, mas segundo Helô “muitas pessoas não sabem pedir a cor do LED, ( quente ou fria) e achar a cor correta dá trabalho”.  Pela complexidade do assunto reunimos algumas dicas da Hêlo para você:

–          Dormitórios devem ter uma iluminação geral sempre em tonalidades quentes ( 2700 a 3000K) que permita tarefas simples,  e ao mesmo tempo,  uma boa luz para leitura.

 

–          Usar “dimmers”( reguladores de intensidade),é um recurso ideal para criar um clima mais aconchegante nos dormitórios , sals de estar e home theaters.

 

–          Ter um circuito para controlar a iluminação externa da casa, com um interruptor ao lado da cama, é muito interessante. É a chamada “luz do pânico”.

 

–          Os closets devem ter lâmpadas com excelente reprodução de cores, para facilitar a escolha das roupas, sapatos  e etc. Neste caso as FLUORESCENTES TUBULARES ,T5,  2700K, as halógenas , ou  LED’s 2700K são ideais.

 

–          Na sala de jantar, deve-se iluminar principalmente a mesa, e no caso de pendentes, numa altura de aproximadamente 90 cm’s, do tampo da mesma. não esquecer as  passagens laterais , o aparador , os quadros e objetos interessantes, evitando assim , os contrastes muito dramáticos.

 

–          Na cozinha, é importante colocar luz embaixo dos armários superiores, para iluminar as bancadas de trabalho e no teto exatamente em cima da cuba. Por outro lado, Uma iluminação colocada em cima dos armários, dará uma excelente luz difusa ,ao ser refletida pelo teto.

 

–          Nos banheiros, além da iluminação geral no teto, é importante uma luminária especial dentro do box. ao lado dos espelhos também, de preferência na altura de 1,70 +ou – ,evitando as sombras  no rosto e o ofuscamento.

 

–          Salas de estar precisam ter iluminação atraente, agradável, sem ofuscamento, e  usar abajours para criar atmosfera de aconchego. Além disso, se a família utiliza a sala para outras atividades, colocar luminárias específicas também, por exemplo, um foco dirigido à leituras.

 

–          Jardins pedem iluminação do perímetro,para criar sensação do espaço existente, destaque para alguns arbustos, balizadores dos caminhos e  algum  efeito de soMbra  nas paredes, evitando contudo, foco dirigido às janelas, para não causar ofuscamento.

 

–          Para luz externa, devemos dar  a impressão de boas vindas, mostrando o nº da casa, os caminhos e a entrada de forma a conduzir a pessoa de forma agradável.

 

–          Não usar focos de luz para baixo, ( down lights) em cima de sofás e poltronas porque faz as pessoas ficarem com aparência de cansadas, manchadas e velhas. Utilizar este tipo de iluminação somente em objetos a serem destacados.

 

 

Uma especialista em iluminação pode estudar sua casa, escritório ou loja e usando uma boa combinação de lâmpadas, luminárias e equipamentos conseguir o melhor efeito em cada ambiente. Se ainda tiver dúvidas e quiser uma avaliação profissional consulte o site da Hêlo Cunha e peça um orçamento. Ela também está no CICERONE e os principais dados estão no site.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.